Ilhas Trindade e Martim Vaz

 

As Ilhas Martim Vaz foram descobertas em 1501 pelo navegador português João de Nova e um ano depois a ilhar maior de Trindade, foi descoberta por e Estêvão da Gama; as ilhas permaneceram na posse de Portugal até a independência do Brasil, altura em que passaram a ser brasileiras. Em 1890, o Reino Unido ocupou Trindade, mas as ilhas voltaram a fazer parte do território brasileiro em 1896, após esforços diplomático contra a invasão inglesa,  nesta ocasião o navio da marinha "Benjamim Constant" é deslocado para a ilha, e coloca um marco de soberania, hoje localizado em frente a Casa da Chefia da Ilha de Trindade, com os seguintes dizeres: "O direito vence a força".

 

Um fato pitoresco das Ilhas, vem do aventureiro franco-estadunidense James Harden-Hickey , que em  1893, decide se tornar James I, Príncipe de Trindade, ele planejava colonizar a Ilha de Trindade e torná-la uma nação soberana. Trindade, a nação, seria uma ditadura militar governada por ele mesmo.  Em 1893, o jornal New York Tribune publicou uma reportagem de capa sobre o novo príncipe.

O príncipe James I,  desenhou selos, uma bandeira e um brasão para o Principado de Trindade, comprou uma escuna para trazer colonizadores. Abriu um escritório consular em Nova Iorque e até emitiu títulos de governo do novo estado.

A bandeira do Principado da Ilha Trindade que teria desenhado, do qual só temos relato seria  um triângulo dourado sobre um campo vermelho, em alusão á Santíssima Trindade que dá nome à Ilha , reza uma lenda que ele teria hasteado a bandeira durante sua única visita a Ilha. Como seria de se esperar a empreitado do “príncipe” não foi levada à diante. A bandeira em si, poderia ter seu triângulo tocando à base da bandeira, como ocorria no brasão, ou não, e estão as duas versões representadas abaixo.

 

 

Hoje as ilhas Trindade e Martim Vaz são partes integrantes do Município de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo e conforme dispõe o Art. 20, inciso IV, da Constituição Federal, são de propriedade da União, entregue pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU) ao encargo da Marinha do Brasil (MB). A MB ocupa a Ilha da Trindade, de forma contínua, desde 1958, através do Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade, mantido pela Marinha do Brasil.Trindade e Martim Vaz não tem símbolos próprios.

 voltar à página inicial