Distrito Federal


CSW/CSW

 

 RGB (255, 255, 255)

 RGB (128, 128, 0)

 RGB (255, 200, 0)

Proporção: 7 X 10



Decreto nº 1.090, de 25 de agosto de 1969

Adoção: 25/08/1969


Desenho Modular da bandeira

 
 

A região onde se encontra hoje o Distrito Federal fazia parte do Estado de Goiás.A sugestão de criação nova capital do país, em áreas do Planalto Central surgiu já  na primeira Constituinte no Império Brasileiro, em 1823, numa proposta de José Bonifácio de Andrada e Silva, fundamentada na necessidade da mudança da Capital para um ponto mais central do interior do país e sugerindo ainda para a cidade o próprio nome que a tornou famosa em todo o mundo.

Em 1922 a idéia ressurge com o lançamento da pedra fundamental de Brasília, próxima a Planaltina.  Somente em 1956 a idéia começa a se concretizar por iniciativa do então Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, com a criação da NOVACAP - Companhia Urbanizadora na Nova Capital, empresa pública incumbida da construção da nova capital, na região do cerrado goiano.  No dia 21 de Abril de 1960, a estrutura básica da cidade está edificada, muitos prédios ainda são apenas esqueletos, mas a cidade é inaugurada e o Distrito Federal surge como nova unidade federativa separando-se de Goiás.

A primeira bandeira de Brasília possivelmente data da confecção do Brasão do Distrito Federal (instituído pelo Decreto n° 11 de 12 de setembro de 1960), visto ter elementos em comum com este, inclusive o formato de um pilar Palácio da Alvorada ao centro, tal bandeira foi utilizada até 1969, apresentava, tal qual o brasão as colunas do Palácio da Alvorada estilizada e as mesmas cores da bandeira nacional. A bandeira e mostrada ao lado, apresenta sua primeiro terço vertical na cor azul e o campo horizontal seguinte em branco, um quadrilátero central com os pilar supra citado e as cores verde e amarela, como pontos em comum com a autal bandeira estão a predominância do branco e o quadrilátero que se destaca próximo ao centro.

Uma nova bandeira, substituição a anterior foi desenhada pelo mesmo autor do brasão do Distrito Federal, tal bandeira foi oficializada através do Decreto nº 1.090, de 25 de agosto de 1969 e é assim descrita pelo seu autor -Guilherme de Almeida:

 

“Sobre campo branco, símbolo da Paz nas auras dos ventos que hão de vir, opõe-se escudo quadrangular de sinople com uma caderna de setas de ouro em cruz, farpadas e emplumadas de ouro e moventes do centro.

No escudo, o verde e o amarelo do seu esmalte único (sinople) e do seu único metal (ouro) juram fidelidade aos símbolos nacionais.

Do índio - legitimidade primitiva do Brasil - conserva-se um nobre elemento já consagrado pela Heráldica de todos os tempos: a flecha. Quatro setas partidas do centro para Norte-Sul-Este-Oeste: rosa-dos-ventos, ação centrífuga do poder.

Dispostas em cruz pela composição em caderna, repetem essas quatro setas o permanente emblema que, no céu (o Cruzeiro do Sul), no mar (a cruz das velas descobridoras) e na terra (o lenho da Primeira Missa), vem presidindo ao nosso destino cristão.

Na Heráldica, que tantas cruzes já tem elegido (a Grega, a Latina, a de Santo André, a de Lorena, a de Malta, a de Aviz, a de Ordem de Cristo, a Gamada...) cria-se, assim, uma nova cruz: a CRUZ DE BRASÍLIA formada por quatro setas de vôo oposto.

Inovações, mas não profanações pois que não ferem dogmas da velha Ciência e Arte da Armaria, buscam atualizar a Heráldica, harmonizando com espírito de Brasília estas armas. São essas inovações:

-    a redução do escudo a simples quadrilátero, observante do cânon de sete módulos por oito (área intocável do campo), mas divergente das soluções curvilíneas do gótico, do samnítico, do anglicano do português...;

-    o tratamento moderno, geométrico das setas, a exemplo de tantas figuras heráldicas que se foram estilizando através dos tempos (v. gr. a flor-de-lis, diferente na Idade Média, no Renascimento, sob Luiz XIV, sobe Luiz XVI);

-    as cores (ouro velho e verde seco) que nem por apresentarem abrandadas tonalidades deixam de ser ouro, de ser verde.”

Como se vê da explanação do autor,  cores são ouro velho e verde seco, o verde seco é também conhecido como verde oliva (RGB 128,128,0)

O Distrito Federal, tal qual outras unidades da federação possui uma bandeira-insígnia do Governador do Distrito Federal, que é hasteada sempre que o governador se encontra presente em um determinado prédio público. Foi Ela foi criada em 1994 . Seu autor é o Tenente Coronel Militar, Adriano Antônio Maciel Pinheiro.

 Segundo a página do governo “Ela tem a forma retangular e é dividida em três campos: o verde, que simboliza a natureza e representa a liberdade e a esperança; o amarelo, que simboliza a luz espiritual e representa as riquezas; o branco, que representa a paz e a humildade. No meio do campo branco, destaca-se o Brasão de Armas do Distrito Federal.”

 

 voltar à página inicial